Pintura Mediúnica

Explicando a Psicopictografia
161 – Que é arte?

“A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das criaturas. Ela significa a mais profunda exteriorização do ideal, a divina manifestação desse “mais além” que polariza as esperanças da alma.

O artista verdadeiro é sempre o “médium” das belezas eternas e o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais vibráteis do sentimento humano, alçando-o da Terra para o Infinito e abrindo, em todos os caminhos a ânsia dos corações para Deus, nas suas manifestações supremas de beleza, de sabedoria, de paz e de amor.”

- Emmanuel - Livro O Consolador - Psicografado por Chico Xavier

Na resposta de Emmanuel acima temos a explicação de como a arte é vista pela espiritualidade. Emmanuel conseguiu traduzir em palavras o que os pintores estão buscando com seu trabalho, que é levar os corações dos homens para Deus, neste trabalho conhecido como Pintura Mediúnica ou Psicopictografia, sua definição na codificação espírita no Livro dos Médiuns “capitulo 16 – Aptidões especiais dos médiuns’, na “questão 190 – médiuns especiais para os efeitos intelectuais”, Allan Kardec com o auxilio dos médiuns e orientadores espirituais nos da à seguinte definição: “Médiuns pintores e desenhistas: pintam ou desenham sob a influência dos Espíritos.

Materiais Artísticos que serão usados na Psicopictografia

Falamos dos que obtém coisas sérias, porque não se pode dar esse nome a certos médiuns que Espíritos zombeteiros levam a fazer coisas grotescas, que desabonariam o mais atrasado estudante. Kardec nos alerta sobre a qualidade dos trabalhos, como forma de verificar a autenticidade dos espíritos em questão, eu acrescentaria sobre a energia que emana das verdadeiras obras dos amigos pintores, que detalharei mais adiante.

São dois os objetivos principais da pintura mediúnica, o primeiro é dar uma prova da imortalidade da alma, pois como uma pessoa sem conhecimentos artísticos e que nunca freqüentou uma escola de arte como eu (Kleber Torres) poderia fazer em poucos minutos obras de pintores famosos como Van Gogh, e tantos outros. Além do mais o material empregado nas telas é tinta a óleo que se mistura com facilidade, mas durante o transe mediúnico elas não se misturam, nem os pintores quando encarnados conseguiriam fazer o quadro com essa rapidez e sem que as tintas se misturassem, só é possível através da mediunidade.

O segundo objetivo e transformar as obras arte em ajuda para os necessitados, no meu caso a venda das obras são revertidas ao trabalho com os moradores de rua, também mantemos a Casa Francisco de Assis e por ultimo temos que manter o material artístico que é usado em abundância.

Para os pintores como me disseram e a chance de fazer a caridade que não fizeram em vida.

Recebendo o 1º Trabalho

Quando Chico Xavier foi indagado sobre a pintura mediúnica respondeu, “esses trabalhos são de Evangelização através das Cores, para todos os espíritos encarnados e desencarnados”.

Quando os amigos pintores me envolvem fluidicamente, sinto uma energia muito grande em meu corpo, sendo comum sentir a personalidade do pintor que irá se comunicar se está tranqüilo ou agitado para fazer a obra, como se os dois espíritos por alguns instantes possuíssem o mesmo corpo, aos poucos o envolvimento se amplia e os pintores começam a comandar os braços e os traços começam a sair, fico no mundo e no tempo deles, sinto seu amor para comigo e para com os presentes, mas isso varia de médium para

médium, pois depende da afinidade fluídica entre ambos (espírito e médium), as emoções e os sentimentos do pintor ficam mais claros quando o ambiente nos dá essa oportunidade, por isso quanto mais elevado o ambiente e moralmente o médium, melhor e mais fácil a sua captação espiritual.

Os Amigos Pintores conseguem em certos casos dar ajuda não só psicológica como também energética para aqueles que assistem ao trabalho, mas depende do assistido sintonizar-se para poder sentir a ajuda que necessita. Os quadros ficam energizados com as energias que são irradiadas para o publico presente,

sendo o médium o receptor e distribuidor das energias, tanto para o quadro, quanto para o público que o assiste, assim através de ir e vir o quadro fica condensado com essas energias, que através de vários testemunhos e comprovações de sensitivos e pessoas comuns, fazem a casa ou o lugar onde o colocam ficarem equilibrados. Os Amigos Pintores manipulam também as energias do público como também a dos médiuns presentes para ajudar os desencarnados desequilibrados, que acompanham o publico presente ou estão no local da apresentação, trocando a energia negativa e doente com a energia positiva que é gerada pelo trabalho.

Detalhe do envolvimento dos Artistas

O meu primeiro contato com a pintura mediúnica foi em um trabalho de evangelho no lar, quando um médium começou a rabiscar e começaram a sair formas (rostos), um trabalho extremamente rápido, nunca tinha ouvido falar nada a respeito, meu espanto foi pela facilidade que ele tinha para fazer o desenho, sem ter aprendido a pintar, hoje sei que havia um pintor envolvendo-o.

Gravura sendo realizada invertida

Foi nesse mesmo evangelho no lar em casa de minha sogra, que era feito todas as segundas-feiras, que ocorreu minha primeira manifestação dos espíritos, foi através da psicofonia (mediunidade da fala) de Albino Luciani meu mentor, alguns meses depois ele me transmite que gostaria de desenvolver também a psicografia (mediunidade de escrita), passado apenas uns dois anos dessa iniciação outros escritores brasileiros começaram a se comunicar como: Mario de Andrade, Manuel Bandeira, Oswald de Andrade, Augusto dos Anjos, Rui Barbosa, Pedro de Alcântara, Euclides da Cunha, entre outros, com eles também se manifestava Tarsila do Amaral, que além de escrever pequenos trechos da vida cotidiana também os desenhava, foi através desses pequenos esboços de Tarsila que ela me iniciou na pintura, trabalho que nunca tinha imaginado em fazer.

Após a iniciativa da Tarsila outros artistas começaram a se manifestar através das minhas mãos e pés, dentre eles: Pablo Picasso, Henri de Toulouse-Lautrec, Claude Monet, Édouard Manet, Pierre-Auguste Renoir, Vincent van Gogh, Henri Matisse, Amedeo Modigliani, Rembrandt, Joan Miró, Cândido Portinari, Alfred Sisley, Salvador Dalí, Paul Gauguin, Paul CézanneEl Greco, Piet Mondrian, Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), Lasar Segall, Leonardo da Vinci, e muitos outros.

Recebendo com as Duas Mãos ao mesmo Tempo

Quem dirige meu trabalho com os pintores e a Tarsila do Amaral, pois foi ela que iniciou o trabalho comigo, mas tenho muita afinidade com Picasso, Van Gogh, Renoir, Monet, Dalí, Toulouse-Lautrec, Matisse, mas todos para mim são grandes irmãos que nos ajudam a suportar as provas diárias de minha existência.

O desenvolvimento da pintura mediúnica foi para mim muito difícil, porque os Amigos Pintores precisavam repetir varias vezes os movimentos (rabiscar), até terem condições manipular minhas mãos e pés com facilidade, ainda hoje fazem isso quando fico muito tempo sem recebê-los, outra dificuldade para eles e passar pela nossa psique, por isso o médium precisa entregar-se muitas horas e dias de sua semana para desenvolver uma ligação que facilite a eles trazerem obras mais perfeitas para a terra. Mesmo com essa entrega os pintores fazem uma enorme força rebaixando seu padrão vibratório e repetindo seu estilo de pintura de muitos anos atrás, oferecendo assim uma prova de sua imortalidade.

Não há necessidade para o médium aprender a pintar, pois eles e que são os pintores, os médiuns como eu, são simples instrumentos, ainda muito imperfeitos para que eles executem suas obras com a facilidade que tinham em vida, um dos amigos pintores me disse há muito tempo, que se eu quisesse saber da dificuldade deles em pintar através de um médium que pegasse na mão de uma criança e tenta-se assinar meu nome. Já fiz varias apresentações em público, mas o desenvolvimento continua hoje eles tem um pouco mais de facilidade em usar meu aparelho mediúnico.

Quadro a Óleo com a Mão Direita
Não há nenhum preparativo especial para a pintura mediúnica, a não ser os de costume manter a serenidade e o equilíbrio durante o dia, ter uma alimentação que facilite a manipulação das energias, como não comer carne vermelha, chocolate, coca-cola e outros alimentos estimulantes, marcar com os Pintores os dias da semana e o horário em que poderão lhe assistir, deixando por conta deles o desenvolvimento.

Quando vou fazer uma apresentação publica ainda sinto certa ansiedade para saber o que eles vão pintar, durante o envolvimento dos Amigos Pintores acompanho o que eles fazem ou conversam enquanto pintam, às vezes me mostram os lugares que estão pintando ou a cena na época em que eles pintaram, sinto às vezes uma liberdade indescritível, em alguns momentos sinto a felicidade ou a dificuldade que eles têm em me usar, os amigos pintores ficam numa mesma sintonia que facilita a troca de um artista por outro, uma vez estava muito triste por alguns acontecimentos do meu dia e um dos Pintores ao terminar o trabalho me deixou uma energia de amor e fraternidade que nunca senti na terra, me emocionei muito, mas sempre quando acabam o trabalho deixam uma paz muito grande no ambiente.

Nessas apresentações publicas o trabalho espiritual e muito mais intenso, pois eles tratam não só os desencarnados, mas também aos encarnados que comparecem a pintura mediúnica, para que isto ocorra os Pintores, médicos e assistentes retiram as energias doentes de seu psicossoma, passando pelo meu aparelho mediúnico indo para o plano espiritual, onde lá modificam sua polaridade e novamente a retornam para eles, lhes devolvendo o equilíbrio energético e a saúde física, para o público de espíritos desencarnados que na sua maioria são parentes, amigos ou não dos encarnados, muitos são despertados para a imortalidade da alma, outros tem seus corpos fluídicos recompostos pela energia gerada por esse intercambio, isto foi comprovado por vários médiuns clarividentes que participaram das minhas apresentações, me relatando que as cores empregadas nas obras eram as mesmas que tratavam aos doentes.

Detalhe de como as Tintas não se Misturam

Foi através dos experimentos com fótons de Albert Einstein que aprendemos que cada cor vibra numa determinada faixa atômica em nosso corpo, quando bombardeamos esses átomos “doentes” com cores (fótons) que fazem mudar sua freqüência e polaridade, acontece então à maravilha do equilíbrio energético, em consequência haverá a restauração de células e órgãos doentes, que pode ser constatada todos os dias pelos cromoterapeutas por todo o mundo, mas sempre depende do doente/assistido assimilar mais rapidamente ou não esta energia, para isto ocorra basta que relaxemos e tenhamos fé, durante a apresentação.

O publico reagem de varias maneiras uns ficam deslumbrados pela criação rápida das obras e outros emocionados pelo tratamento a que são submetidos.

Nas apresentações publicas pudemos presenciar artistas encarnados com grande conhecimento sobre arte, ficarem deslumbrados com a cromática usada pelos artistas, dizendo que somente os grandes pintores conseguem ter tal qualidade, outros nos falam sobre a incapacidade de um artista encarnado reproduzir as várias técnicas utilizadas pelos Pintores desencarnados quando em vida.

Tive um caso interessante de uma pessoa ter “sonhado” com um espírito pedindo a ele tivesse mais obras para proteger sua casa, outras pessoas me relatando sobre os benefícios das obras quando colocadas nos quartos de doentes, como um caso de uma criança que não conseguia dormir a noite, depois de colocado o quadro em seu quarto passou a dormir tranquilamente.

Todos podem ajudar a Pintura Mediúnica a prosseguir, dando aos médiuns sérios a oportunidade dos Amigos Pintores mostrarem seu trabalho, nas casas espíritas ou em lugares propícios para ter esse tipo de trabalho, trazendo mais pessoas amigas para conhecerem o trabalho. Durante a apresentação podem ajudar com suas orações e também com a compra das obras para dar continuidade ao trabalho caritativo que realizamos com os moradores de rua, bem como a compra de novos materiais artísticos utilizados nas apresentações.

Gostaria de finalizar minha explanação buscando inspiração nas palavras de Emmanuel no livro “O Consolador”, dando o verdadeiro sentido para o trabalho dos artistas, em sua resposta a pergunta abaixo:

Pintura Mediúnica Finalizada de Vincent Van Gogh

162 – Todo artista pode ser também um missionário de Deus?

“Os artistas, como os chamados sábios do mundo, podem enveredar, igualmente, pelas cristalizações do convencionalismo terrestre, quando nos seus corações não palpite a chama dos ideais divinos, mas, na maioria das vezes, têm sido grandes missionários das idéias, sob a égide do Senhor, em todos os departamentos da atividade que lhes é próprio, como a literatura, a música, a pintura, a plástica.

Sempre que a sua arte se desvencilha dos interesses do mundo, transitórios e perecíveis, para considerar tão-somente a luz espiritual que vem do coração uníssono como cérebro, nas realizações da vida, então o artista é um dos mais devotados missionários de Deus, porquanto saberá penetrar os corações na paz da meditação e do silêncio, alcançando o mais alto sentido da evolução de si mesmo e de seus irmãos em humanidade.”

-Emmanuel - Livro O Consolador - Psicografado por Chico Xavier

Queria agradecer a Deus, a Jesus e aos Amigos Pintores por essa oportunidade de crescimento e caridade, estou muito contente de poder participar deste movimento, principalmente pela ajuda aos caídos da sociedade, trabalho maravilhoso em que grandes pintores, humildemente voltam ao nosso convívio para nos alertar, tratar e em alguns casos curar, para que despertemos para as verdades eternas.

- Kleber Torres