Livro de Visitas

Esta página e sua deixe seus comentários, observações, declarações tudo que você quiser no contar.

4 Respostas para Livro de Visitas

  • Amandinha

    Show de blog!

    Beijos!

  • Sonia

    Bom dia a todos, sempre ouvir que quem quer se matar não avisa apenas faz, gostaria de falar um pouco de mim, sou casada e tenho uma linda filha que é de menor ainda , tenho 32 anos para muitos uma mulher nova, mais já deixo claro nova somente na idade, vou resumir minha infância.
    Vim de uma família turbulenta, minha mãe sempre foi alcoólatra , não conheci meu pai. Fui criada pela minha vó e pelo governo, entrando e saindo de instituições, essa jornada pelo que sei começo aos quatro anos e só termino ao trezes, nesse meio tempo passava uns messes com a minha vó hoje já falecida.
    Sempre que achava que ia ficar , parava aquela piruá branca para me levar, Deus como era doloroso, mesmo passando por toda dificuldade que um ser humano pode imaginar, fome , frio, medo de que minha mãe fosse na casa da minha vó, que só aparecia bêbada e drogada, querendo comida , coisa que era difícil ter em casa, éramos seis crianças, e somente minha vó para ciar.
    Os anos foram passando e eu sempre achava que um dia as coisas iriam mudar, mais nunca mudava, ate que um dia finalmente achei que seriamos eu e meus irmão felizes , minha mãe estava sem beber , e levo a gente para longe da minha vó.
    fomos para um em lugar que não sei como descrever, só que tinha muita sujeira e homens e mulheres drogadas {o}.
    Infelizmente não era novidade, cansei de ver minha mãe drogada, e usando droga na época era uma droga que ela colocava no braço com agulha, lembro dessa sena, e morrerei com ela em minha mente.
    finalmente minha adolescência chego, tem duas fases na minha vida de adolescente que me marco muito, a primeira quando fiquei moça, claro que não sabia exatamente o que era, para o meu azar minha mãe tinha chegado na madrugada,eu nunca soube se era pior ela bêbada ou quando acordava no dia seguinte, sei que nesse dia ela acordo antes de mim, e me chamo, me pedi-o para buscar um copo de água para ela, quando me levantei, meu bermuda estava sujo de sangue, ela enlouqueceu e começou a gritar , que eu não prestava , que tinha me perdido com algum menino na rua.
    como isso era possível, não podíamos sair e eu era apenas uma menina, me lembro com dor, que apanhei de soco na barriga e chutes , como se fosse um animal, que as pessoas não tem dó, foi tudo muito confuso naquele momento, estava virando mulher.
    o segundo foi quando completei quinze anos, nossa ,esperava esse dia mesmo sabendo que nada iria ser feito, mais eu completando quinze anos, acordei naquele dia muito feliz, lembro que minha irmã me abraço e me deu os parabéns, pra mim naquele momento foi a confirmação dos meus quinze ano, o dia foi passando, e como qualquer adolescente , naquele dia eu me achava importante, no decorrer, da tarde beirado as seis da tarde minha vó, pedi-o para minha irmã comprar frango, algo que era raro em casa , tinha somente no dia que ela recebia aposentadoria que o marido dela deixo ,eu não sei o por que mais ela acho que tinha pedido para mim , buscar, lembro que fui na casa de uma amiguinha , e foi muito bom esta lá, mais como sabia que já estava ficando tarde tinha que ir embora, quando abrir o portão vi um dos meus irmão de olhos arregalado , para mim.
    olhando para porta, não entendi nada , e fui entrando de repente sentir uma pancada nas costa, só paro quando ouvir o estala da madeira, era minha vó escondida atrás da porta, me xingando e batendo, dizendo que eu não valia nada que peguei o único dinheiro dela para, comprar besteira, na rua, não entendi nada do que ela estava falando, quando meu irmão em um grito disse não foi ela, vó, que a senhora deu o dinheiro da mistura , mais sim para a outra.
    Ela mando ele se calar, e nesse momento minha irmã chego com a mistura, na mão , ela simplesmente viro e disse para ela aonde você estava , que demoro tanto, novamente pensei , meu Deus o que eu fiz, ela simplesmente viro as costa para mim e foi para fogão fazer a mistura, claro que não comi, fiquei sim com raiva, mais do que isso triste , era meu dia tão especial, e a única coisa que ganhei dela foi uma surra com pedaço de pau, não ganhei um abraço, não ganhei parabéns nada nem um gesto de carinho.
    e finalmente chego a fase de toda adolescente , eu me apaixonei , por um menino do bairro, achei que a felicidade estava ao meu lado, comecei a namorar, nossa como foi magico, ter alguém que realmente , gostasse de mim, pena que duro tão pouco.
    um dia estava andando de mãos dadas na rua, como namorados , minha família sabia, mais naquele dia, que jamais esquecerei marco , minha vida.
    De repente ouvi uma vós de longe , chamando meu nome, lembro como hoje minha espia arrepio, era minha mãe sentada na calçada, como sempre bêbada, me chamo mais uma vez, e eu tinha muito medo dela, apertei a mão desse meu namorado , e fui na sua direção, sem dizer o por que , ela disse a ele , leva essa…, pra sua casa por que eu não quero mais ela em minha casa, se ela entrar eu a mato, como já tinha visto, tanta maldade dela, claro jamais duvidei do que ela era capaz quando bebia.
    O medo me domino naquele momento , lembro que corri muito, sem direção , e esse namoradinho, que pra mim na época era meu anjo da guarda, me seguro e disse , calma você não esta só, e me levo para casa da sua , mãe, lembro que ela converso com ele , e disse que eu podia ficar na casa dela, por um tempo.
    entrei e fiquei lá, nisso se passo um ano, e era tudo tão magico, ver como uma família era, o amor deles de irmão , pai e mãe o cuidado que eles tinham aos outros.
    Mais finalmente meus dias de paz acabarão, para entender a tortura terei que contar, como começo, uma meiga na época me pedido uma calça emprestada , mais como eu saia com ele nos finais de semana, eu tinha medo dele pedir , para eu usar a calça que ele me deu, contei para mãe dele que ia buscar, mais que ela não contasse a ele, por que não queria chateia-lo , foi algo que ele tinha me dado, fui rapidamente na casa dessa amiga que morava , na rua de baixo, ela não estava e quando eu estava , voltando dei de cra com ele,
    Ele estava muito bravo, nunca tinha gritado comigo, nem xingado, pois naquele dia foi tudo estranho, ele estava de moto e me disse sua…, você vai voltar a pé, pra mim naquele momento tudo bem , novamente sentir um medo que a algum tempo eu não sentia.
    Quando cheguei no portão ele estava, parado com um olhar estranho, mais mesmo assim fui na sua direção, ele espero eu entrar , não me disse nada, quando cheguei na sala, ele me chamo para entrar no quarto, e sem eu perceber ele me pego elo pescoço, com uma mão só, e me jogo na cama, e apenas me disse se eu saísse novamente, sozinha , eu pagaria por isso, nesse dia ele disse para Mae dele , não de comida para essa…;
    e foi a sua irmã mais tarde que me deu es condida um prato de comida, não tive tempo de explicar por que ele não queria ouvir, apenas me xingava .
    Bom e a partir desse dia nunca mais ate o período que tomei coragem e fui embora, ele me espancava, me batia por qualquer coisa, não importava se era grande ou pequena, me lembro que no último espancamento , ele por muito pouco não quebro minha perna, com um chute que ele deu…ele sempre me dizia se eu o largasse seria pela janela ele morava no terceiro andar, nossa como eu tinha medo dele , o meu amor viro medo.
    Eu só tinha dezoito anos.
    Se possível termino meu desabafo…hoje sou casada com outro home , que me deu uma linda filha, mais a tortura não acabo hoje ela é psicológica, aonde olho e me pergunto o por que continuar nesta vida, estou cansada desse plano , só me trousse sofrimento e dor, só o que eu tenho de bom é minha filha, mais nada, a vontade de partir desse , plano a cada dia se torna mais forte , realmente acho que pra mim ,não a mais luz no fim do tunei.
    Obrigado por ler minhas palavras.

  • Reginalda Alves de Oliveira

    Força, meu amor!!! Siga em frente, DEUS está contigo!!!!!!!!! Bjs

  • Eduardo

    Que Deus abençoe a casa e todos seus participantes.
    Meu nome é Eduardo e fico feliz que ver que a uma casa espírita como essa.
    Minha mediunidade começou a aflorar a um ano atrás e também através dos bons espíritos ajudo no intermédio da pintura mediúnica.
    Infelizmente alguns centros que conheci, não dão espaço a arte mediúnica, mas fiquei feliz que a casas que realizam esse gratificante trabalho, pois as cores e as formas podem sim edificar os corações.
    Desejo muita paz e luz a vocês.
    Se um dia Deus me der a oportunidade, gostaria de conhecer a casa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *